Projeto de reforma do ISS pode ser votado nesta semana no Senado

Folha Belacruzense Noticias | domingo, julho 17, 2016 |

O projeto de reforma do Imposto sobre Serviços de qualquer Natureza (ISS) é um dos principais itens da pauta do Senado nesta semana.  O Projeto de Lei do Senado (PLS) 386/2012 – Complementar conhecido  como Reforma do ISS, fixa em 2% a alíquota mínima do imposto, na tentativa de acabar com a guerra fiscal entre os municípios. O texto, que tramita em regime de urgência,  também amplia a lista de serviços atingidos pelo imposto.
A versão aprovada é um substitutivo (texto alternativo) da Câmara ao projeto, do senador Romero Jucá (PMDB-RR). Uma das principais mudanças aprovadas pela Câmara é a cobrança do tributo onde a operação ocorreu em casos específicos como cartão de crédito ou débito e de factoring (aquisição de direitos de crédito) ou leasing (arrendamento mercantil).
Novos serviços foram incluídos pelo projeto na lista dos que podem ser tributados. Entre eles estão a aplicação de tatuagens e piercings; vigilância e monitoramento de bens móveis; e conteúdos de áudio, vídeo, imagem e texto em páginas eletrônicas, exceto no caso de jornais, livros e periódicos.
Outro texto na pauta é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 30/2014, do senador João Capiberibe (PSB-AP). O texto estabelece que a despesa anual do legislativo estadual não pode exceder despesa realizada no exercício financeiro do ano anterior. O repasse de recursos superior a esse limite, bem como a realização de despesa acima dele, passa a constituir crime de responsabilidade.
A norma vale também para a Câmara Legislativa do Distrito Federal e para os Tribunais de Contas dos estados e do DF. A matéria já foi aprovada em primeiro turno e agora precisa passar por uma segunda votação.
O líder do governo no Senado, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), antecipa que nesta semana deve ser votada a proposta de emenda à Constituição que trata da Desvinculação das Receitas da União (PEC 31/2016) e também projetos que concedem reajustes salariais do funcionalismo. O senador descartou a aprovação do projeto que legaliza os jogos de azar no país (PLS 186/2014), por ser muito polêmico.

Fonte: Site da CNM via Agencia Senado


Categoria: ,